ccccff
La marée haute
sábado, dezembro 30, 2006
  É que

.......
.......
.......
.......
a claridade apaga a claridade

António Ramos Rosa
 
  Um dos meus actores



Paul Newman

Etiquetas:

 
  Despreendimento

Quando atravessei a escuridão e a distância para estar presente não estava à espera de retorno, de agradecimentos comovidos. O pudor é para mim a segunda natureza da amizade mais pura. O pudor e a presença.
Quando dou não quero nem posso cobrar nada nem é disso que se trata. Mas sou humana! Porque é que sem eu dizer nada, não me adivinhas a dor e a solidão em cada momento que as sinto? Não vês que quanto mais me isolo mais preciso de ti? Mesmo que eu não consiga articular sábias palavras e os pensamentos surjam dispersos e caóticos; mesmo que o meu olhar esteja distante e sem brilho. É quando mais me afasto que mais preciso que gostes de mim.


Nem sei bem o que isto é. Não é dirigido a ninguém em particular. É uma coisa que estava escrita dentro de um dos vários eus que às vezes sofre sem saber porquê. É o interiorizar que: despir a camisola para aconchegar o outro não nos garante a reciprocidade do gesto; que mesmo assim há um imperativo que nos exige o gesto primordial de estender a mão à procura de outra que se adivinha na obscuridade; que sabe bem sentirmo-nos reconhecidos e sentir a presença do outro; que o outro é às vezes alguém totalmente inesperado que se lembra de nós; que há pessoas que conseguem iludir os nossos risos e lágrimas e ver além dessa névoa que nos esconde; que acredito na esperança; que acredito nas pessoas apesar delas mesmas; que somos humanos; que me sinto magoada; que me sinto grata; que quero cultivar o despreendimento...
 
sexta-feira, dezembro 29, 2006
  O cinema das estrelas



Ginger Rogers


E de repente, sem aviso prévio da memória, lembrei-me dos filmes antigos e de todo o glamour que rodeava a imagem, quase inumana na beleza e no encantamento, que se queria transmitir da vida dos actores e actrizes daqueles tempos. Era o cinema em todo o seu esplendor.

Etiquetas:

 
  A rebentação das águas

De repente rebentaram-lhe as águas dos olhos.

Etiquetas:

 
quinta-feira, dezembro 28, 2006
  A languidez de todo o cansaço

Olhou para o écran, para as notícias e para os mails. Nada lhe disse 'escreve-me'. Desligou o computador e foi dormir.




Marguerites dans le Soleil III
Pierre Viollet
 
terça-feira, dezembro 26, 2006
  Lucidez

"Sabemos que o além também está nos limites
e que se não há limites todo o além se perde
Assim cada palavra caminha para uma morada
em que o corpo possa encontrar a flexível integridade na
lucidez de um contorno"


António Ramos Rosa
 
segunda-feira, dezembro 25, 2006
  Amor

"Atravessamos noites e noites a procurar a palavra
Aquela que já despida de corpos passados possa de novo ser pronunciada."


Carlos Alberto Machado
 
domingo, dezembro 24, 2006
  Paciência

Antes de ir, e com a devida vénia ao palombella rossa, deixo aqui o seu texto mais recente, que é ... exacto.
Obrigada.

belém

"Está tudo cheio na cidade. Sei que é de urgência mas já não há lugar para os senhores. Deixem passar quem anda às compras, faz favor. Tenham paciência, não é o melhor momento para fazer desconto a famílias sem meios em estabelecimentos hoteleiros. Tivessem vindo antes. É uma pena, mas só mesmo ali, naquela garagem abandonada, é que poderão ficar. E agora desculpem mas tenho que ir. A minha gente está à espera de mim para celebrarmos o Natal..."





A Place to Meditate
Hans Paus
 
 



Estou com sono mas não me apetece dormir. Estranha esta luta contra o sono. Mas há tanto a ver, tanta coisa a saber, tanto mundo lá fora!
Hoje tenho uma loja qualquer à minha espera onde me aguardam os últimos presentes de Natal. Não se deveu o adiamento a falta de tempo, mas tão somente de disposição. Recuperei-a e lá vamos, eu e ela, unidas e felizes, contra a corrente sensata (que partilho veementemente!) que diz que não se devem deixar as coisas para a última hora.
 
sábado, dezembro 23, 2006
  Mentira

" Certas mulheres - dizia-me, momentos depois, Zanardini, a quem eu referira a minha surpresa e com quem, uma vez mais, saíra, ao deixar o Palácio Altieri - certas mulheres têm necessidade de mudar de alma, como mudam de vestido. A mentira é um vestido como qualquer outro - e se elas sabem procurar o fato que em certa hora mais nos agrada, como estranhar que saibam procurar a mentira que mais nos seduz? Se a mentira não vestisse as mulheres, de que as vestiria a nossa fantasia? "

As mulheres e as cidades
Augusto de Castro
 
  Controlo

" Ela não deu logo por nós e dirigiu-se para a piscina. Mas fitávamo-la intensamente que o nosso olhar acabou por captar o dela. Ela corou. É belo, uma mulher que cora. O seu corpo, nesse instante, não lhe pertence; a mulher não lhe pertence; a mulher não o controla; fica à mercê dele; ah, nada mais belo do que o espectáculo de uma mulher violada pelo seu próprio corpo! Comecei a compreender por que era que Avenarius tinha um fraco por Laura. Olhei para ela: o seu rosto continuava perfeitamente impassível. Esse controlo de si mesmo pareceu-me traí-lo ainda mais do que o rubor traíra Laura. "

A imortalidade
Milan Kundera
 
  E 2006 quase a fechar...




Caros blogueiros, desejo-vos um Natal feliz e um 2007 pacífico e cordial.
E aqueles blogs que não têm sistema de comentários activado, porque não permiti-los durante, sei lá, uma semana? Era uma prendinha de Natal...mútua :)
 
  Os vários Natais

De novo deixei as compras para as últimas horas. Mas não me posso lamentar porque na verdade gosto de fazer as compras dentro do espírito consumista das luzes, dos pais natal e das merry christmas musicais em todo o lado. E seja resposta a justiça, alguém trata por mim da ceia de Natal e do almoço do dia 25 pelo que me posso dar ao luxo de aproveitar o tempo à medida das minhas necessidades e desejos. Assim enquanto a maior parte das pessoas corre eu passeio, tomo um café calmamente, visito a Fnac e espreito o que a curiosidade e os apelos sugerem.
No entanto às vezes lembro-me de outros Natais, há muito idos, em que andava atarefada a ajudar ou a desajudar a minha avó a fazer bolos caseiros ou mais atrás ainda, em que acordava no dia 25 de madrugada e ia acordar os meus pais para abrirmos os presentes deixados na chaminé, dentro dos nossos sapatos pelo Pai Natal.
Agora revivo a magia do Natal graças à minha sobrinha de 2 anos. Já falei nela não falei? :)
 
  A oficina do pai natal*



*Lynn Bywaters
 
sexta-feira, dezembro 22, 2006
  dar e receber

- que queres que a titi te ofereça?
- noddies
- e o que vais oferecer à titi?
- noddies

Etiquetas:

 
quinta-feira, dezembro 21, 2006
  top



- o que é que está no top?
- Margarida Rebelo Pinto, Paulo Coelho, Nicholas Spark...
- olhe, embrulhe-me um de cada.
 
quarta-feira, dezembro 20, 2006
  sangue

quero um café e depressa.
entrou de rompante pelo café dentro, roupa manchada de sangue e olhar assassino.
era o homem do talho.
 
  Fiama

Amar o mar completa a minha vida
com o tacto de um amor imenso.
Amar areia e margem
arrebata-me de júbilo e paixão.
Mas veio o vento e, por momentos,
amargurou o meu corpo, a oscilar.
E está o sol aqui, depois de uns dias
de jardim obscurecido, a beber sombra.
E sei que os átomos zumbem
e dançam como os insectos
ébrios em redor do pólen.



Fiama Hasse Pais Brandão




Red Night I
Robert J. Ford

Etiquetas:

 
terça-feira, dezembro 19, 2006
  Estes temas mais incómodos...

A Hangar no seu blog Depois do Trauma tenta desmistificar a sexualidade das pessoas com lesões medulares, dando Anna Freud o mote logo à entrada: "Sex is something you do, sexuality is something you are"

Lembro-me de ter visto há uns anos na televisão uma reportagem sobre este tema, e sei que fiquei surprendida e encantada com o relato na primeira pessoa de uma mulher jovem que falava na primeira pessoa sobre prazer e orgasmos.
E mais atrás no tempo relembro um artigo nas Selecções do Reader's Digest, aquele formato pequeno que todos os meses entrava lá em casa e nos trazia o mundo, em que também uma mulher, curiosamente, dava o seu testemunho pessoal sobre a sua sexualidade.

E destes dois casos o que me ficou foi a consciência de que a sexualidade humana é de vastos recursos e adapta-se às nossas capacidades e limitações e que, apesar de toda a abertura, é um campo não completamente explorado.

O trabalho que se faça de divulgação destes temas mais incomuns - incomuns para quem não lida com eles, entenda-se... - é fundamental para a integração em todos os aspectos das pessoas com deficiência motora, porque de todos os aspectos faz parte essa pulsão essencial à vida e à felicidade.

Hangar, bem hajas e um beijo :)*
 
  a estrada a noite e a luz

 
segunda-feira, dezembro 18, 2006
  tempo de amar

e eu estou a ficar fã, em directo, de Juarez Machado




Juarez Machado
 
  simplicidade

há tanto de inútil no que poderia dizer que este silêncio é o melhor de mim que te posso dar. aceita-o como se entendesses o sentido do mundo e não me peças mais que o que consigo trazer ao lume da minha voz. agora por favor apaga a luz e deixa-me segurar a tua mão até adormecer.
 
domingo, dezembro 17, 2006
  Fabuloso!



Equilibrista
Juarez Machado
 
sábado, dezembro 16, 2006
  confissão

estava aqui a escrever uma coisa sem jeito sobre os sábados e as prendas e a felicidade e o que é importante e as crianças e o simbolismo e o céu azul e os passarinhos e o dia de Natal e o novo ano mas, caraças, o que escrevo surge-me sem alma nem chama. assim não.
 
quinta-feira, dezembro 14, 2006
  It takes two

Não resisto a colocar aqui um quadro lindíssimo que acabei de encontrar,



Femme au Robe Orange
Juarez Machado
 
  Ar



E com saudades do meu quarto de solteira onde me cabiam os livros e os sonhos, onde mal acordava encontrava o princípio dos dias e de mim mesma, fiz a mudança. Por ora estou emigrada no escritório, entre as estantes cheias e a secretária caótica e com os sonhos estendidos à janela a apanhar ventania, que eu gosto do vento forte.
Laundry on Balcony, Havana, Cuba

Por falar em ar, aqui ouve-se a Rádio Oxigénio :)
 
  A fase deliciosa dos dois anos

- Lavaste os dentes hoje?
- Amanã



- Mandaste a chucha para o chão. A titi assim não te dá a chucha
- Amanã



- Titi, titi! Toma persuna. Cheia bem
(Declinei pois já tinha posto o meu perfume)
 
quarta-feira, dezembro 13, 2006
  E já é Natal...

 
segunda-feira, dezembro 11, 2006
  Ilhas azuis

Cinco minutos para deixar uma réstea do dia. Há coisas a estudar para que amanhã o dia se me entregue mais confiante. Mas há a revista e o cansaço e a roupa para amanhã e O idiota que quero ler para ver se gosto mais de Dostoievsky. As Noites brancas não me causaram aquele espanto apaixonado. Ora, e que interessa para mim mesma, se gosto de Dostievsky ou não? Ora, nada. O que eu gosto é da ideia dos clássicos como livros senhores da eternidade.
E regresso ao meu lugar onde hoje não quero grandes devaneios mentais nem especulações intelectuais. Entrego-me serena a essa pequena ilha onde recupero e onde renasço.
E penso, irritada, na inutilidade de uma pergunta cuja resposta não me interessa: Que livros leria Dostoievsky?
 
domingo, dezembro 10, 2006
  Charlotte




para os fãs.
 
  hoje em dia

ser de esquerda é mais confortável e cómodo.
além disso está na moda.
 
sábado, dezembro 09, 2006
  Ciclo Como o cinema era belo

.................Casablanca



hoje na Fundação Calouste-Gulbenkian
 
  Nunca sabemos se atingimos um limite*

(...)

Por isso escrevemos com um felino vagar
como se fôssemos sentir o ardor plácido da terra
e construir uma translúcida torre
à beira da qual o mar lavasse os obscuros pensamentos

*António Ramos Rosa
 
sexta-feira, dezembro 08, 2006
  comment ao post anterior


A. Warhol
 
quarta-feira, dezembro 06, 2006
 

 
  ...

eu quero
coragem
o fio da navalha
a espuma dos dias
a descoberta do mundo
até ao fim



rosa alberoni
francisco alberoni
somerset maugham
borins vian
clarice lispector
vergílio ferreira
 
  ,

João Gostoso era carregador de feira livre e morava no morro da Babilônia num barracão sem número
Uma noite ele chegou no bar Vinte de Novembro
Bebeu
Cantou
Dançou
Depois se atirou na lagoa Rodrigo de Freitas e morreu afogado.


Manuel Bandeira
 
terça-feira, dezembro 05, 2006
  ,

Eu escrevo sem esperança de que o que eu escrevo altere qualquer coisa. Não altera em nada... Porque no fundo a gente não está querendo alterar as coisas. A gente está querendo desabrochar de um modo ou de outro...

Clarice Lispector
 
domingo, dezembro 03, 2006
  o que é nacional é bom,



com a devida vénia ao blog "Aliciante"
 
  para uma boa semana

...
 
  (*.*)

~~~~~
~~~~~
~~~~~
~~~~~
~~~~~
~~~~~
~~~~~
~~~~~

ps: o conteúdo deste post é o que se chama um não conteúdo - apenas tem post-scriptum (de novo a palavra post), pois surgiu depois de ter colocado o título, que também não o é, não chama nomes ao inomeável (de novo a impossível contradição). vale o que vale, o que é o mesmo que (não) dizer nada. ah e já agora sou (hum) presunçosa qb porque o (não)título deste (não)post me fez lembrar "Divertimento com sinais ortográficos", de Alexandre O'Neill...
 
sábado, dezembro 02, 2006
  para atravessar a noite

e voltar...


O Mundo
Rodrigo Leão
 
  post it



"Em 2004, apresentando este caso clínico (um homem que sofreu um acidente vascular cerebral e perdeu a capacidade de reconhecer os objectos, que, no entanto, consegue utilizar no seu dia-a-dia) como uma espécie de investigação policial, o neurologista francês Laurent Cohen escreveu O Homem-Termómetro.
(...) O que interessou Laurent Cohen e poderá interessar os leitores é a apresentação parcelar de elementos que fazem do cérebro uma orquestra genial."
Filipa Melo, Semanário Sol, 07.10.2006

Para quem se interessar pelo tema, atente-se também nos seguintes livros:
- O homem que confundiu a sua mulher com um chapéu, Despertares e Perna para que te quero, todos de Oliver Sacks.
- José Cardoso Pires retratou escrevendo a sua viagem pelas sombras num registo feito de memórias perdidas que não sei enquadrar - desse reino trouxe este livro belo. De profundis, valsa lenta, o único que destes cinco li. Das sua virtudes a menor não será a possibilidade da evocação do esquecimento e da infinita capacidade humana de (se)recuperar.
 
sexta-feira, dezembro 01, 2006
  porque deu novos mundos ao mundo

É sempre com prazer e alguma emoção que leio ou falo sobre a maravilhosa descoberta - e maravilhosa é o termo - feita pela equipa do médico Carlos Lima de que os auto-transplantes das mucosas olfactivas (excertos retirados da mucosa olfactiva do paciente e enxertados na zona da espinal medula seccionada) podem resultar na devolução de alguma mobilidade e sensibilidade à pessoa que sofre de paraplegia ou tetraplegia (aqui, aqui e aqui ).

E procuro na net e encontro inúmeras referências e reconhecimentos a nível mundial sobre esta equipa excepcional do hospital Egas Moniz. Por cá somos parcos em elogios e tarda esse (re)conhecimento... Santos de casa não fazem milagres? Ora neste caso reconstroem o milagre da esperança e o que faz falta além de animar é malta é dizer o que é notícia. O'Neill, ajuda-nos com o teu poema! Para mim notícia é isto.

 
 



agora que tenho novo corte de cabelo e as unhas bonitas e cheias de cor, estou preparada para fazer limpezas (é só pôr um pouco de batom e iátá).
 
Sur la marée haute je suis montée la tête est pleine mais le coeur n'a pas assez. Lhasa de Sela


mareehaute.is.vague@gmail.com

Praias
  • Associação Salvador (Salvador Mendes de Almeida)
  • A barbearia do senhor Luís
  • Abrupto
  • Academia dos Livros
  • Acto falhado
  • Almocreve das petas
  • Ana de Amsterdam
  • A Natureza do mal
  • A origem das espécies
  • A origem das espécies
  • Artedosdias
  • Apenas mais um
  • Aqui e agora
  • À rédea solta
  • artedosdias
  • avatares de um desejo
  • Aventar
  • Bandeira ao vento
  • Binoculista
  • Blasfémias
  • BlogOperatório
  • Blogue dos marretas
  • Blogville
  • Branco sujo
  • Caderno de Campo
  • Canela moída
  • Casadeosso
  • Casario do ginjal
  • Charquinho
  • Chez 0.4
  • Cibertúlia
  • Ciranda
  • Cócó na fralda
  • Com menta
  • Controversa maresia
  • Conversamos?!
  • Curiosidades
  • Da literatura
  • Delito de opinião
  • Dia de preguiça
  • Depois do trauma
  • Desesperada esperança
  • Directriz
  • Diz que não gosta de música clássica?
  • Do Portugal profundo
  • Drowned world
  • "Estranha maldição"
  • Equinócio de outono
  • Espero bem que não...
  • Fernão capelo gaivota
  • Folhinha Paroquial
  • Garfiar, só me apetece
  • Gapingvoid
  • Garficopo
  • Geração de 60
  • Gil Giardelli
  • Hummmm... i see
  • Infinito Pessoal
  • Invicta Filmes
  • Irmão Lúcia
  • João Pereira Coutinho
  • Jornalismo e comunicação
  • La double vie de veronique
  • Largo da Memória
  • Lauro António apresenta...
  • Leio a Vogue e o Saramago
  • Lua de lobos
  • Marjorie Rodrigues
  • Mas certamente que sim!
  • Ma-schamba
  • Memória virtual
  • Meus Mandamintos Poéticos
  • Miniscente
  • M.me mean
  • Não compreendo as mulheres
  • Não compreendo os homens
  • Nome de rua quieta
  • Nós Vencedores
  • Novos voos
  • O Insurgente
  • O mundo tem inscrições sempre abertas
  • obvious - um olhar mais demorado...
  • Ortografia do olhar
  • O Ser Fictício
  • O Universo numa Casca de Noz
  • Palombella rossa
  • Para lá do espelho
  • Partilhas
  • Pau para toda a obra
  • Pedro Rolo Duarte
  • People who...
  • Piano
  • Pimenta negra
  • Ponto sem nó
  • Premiere
  • Prosimetron
  • Púrpura secreta
  • Porta-livros
  • Raízes e antenas
  • Red Dust
  • Renascido
  • Respirar o mesmo ar
  • Rua da judiaria
  • Salete Chiamulera
  • Sem tambores e sem trompetes
  • Sexualidade feminina
  • Singrando horizontes
  • Sinusite crónica
  • Sol & tude
  • The old man
  • The Huffingtonpost
  • Um amor atrevido
  • Uma mulher não chora
  • Um chá no deserto
  • Um filme por dia não sabe o bem que lhe fazia
  • Um homem na cidade
  • Um piano na floresta
  • vontade indómita
  • Voz do deserto
  • Voz em fuga
  • Way to blue
  • Zumbido
  • 31 da armada
  • 50 Anos de Filmes
  • 100 nada
  • Guia do Lazer.Público
  • Time out
  • Cinecartaz.Público
  • Cinemateca
  • IMDB - The Internet Movie Database
  • Hollywood yesterday and today
  • Centro Cultural de Belém
  • Culturgest
  • Fundação Calouste Gulbenkian
  • Instituto dos Museus e da Conservação
  • Museus Portugal
  • Instituto Franco-Português
  • Le cool Lisboa
  • Pavilhão do Conhecimento
  • Dicionário e enciclopédia Porto editora
  • Bertrand
  • Fnac
  • Bartleby.com
  • Love your body
  • Sintonizate
  • Windows Media Guide
  • Agenda Uguru
  • TicketLine - Compra de bilhetes online
  • BBC on this day
  • Magnum photos
  • How To Do Just About Everything
  • Logitravel.pt
  • The Slow Movement
  • ViaMichelin
  • Arquivos

    Setembro 2004
    Outubro 2004
    Novembro 2004
    Dezembro 2004
    Janeiro 2005
    Fevereiro 2005
    Março 2005
    Abril 2005
    Maio 2005
    Junho 2005
    Julho 2005
    Agosto 2005
    Setembro 2005
    Outubro 2005
    Novembro 2005
    Dezembro 2005
    Janeiro 2006
    Fevereiro 2006
    Março 2006
    Abril 2006
    Maio 2006
    Junho 2006
    Julho 2006
    Agosto 2006
    Setembro 2006
    Outubro 2006
    Novembro 2006
    Dezembro 2006
    Janeiro 2007
    Fevereiro 2007
    Março 2007
    Abril 2007
    Maio 2007
    Junho 2007
    Julho 2007
    Agosto 2007
    Setembro 2007
    Outubro 2007
    Novembro 2007
    Dezembro 2007
    Janeiro 2008
    Fevereiro 2008
    Março 2008
    Abril 2008
    Maio 2008
    Junho 2008
    Julho 2008
    Agosto 2008
    Setembro 2008
    Outubro 2008
    Novembro 2008
    Dezembro 2008
    Janeiro 2009
    Fevereiro 2009
    Março 2009
    Abril 2009
    Maio 2009
    Junho 2009
    Julho 2009
    Agosto 2009
    Setembro 2009
    Outubro 2009
    Novembro 2009
    Dezembro 2009
    Janeiro 2010
    Fevereiro 2010
    Março 2010
    Abril 2010
    Maio 2010
    Junho 2010
    Julho 2010
    Agosto 2010
    Setembro 2010
    Outubro 2010
    Novembro 2010
    Dezembro 2010
    Janeiro 2011
    Fevereiro 2011
    Março 2011
    Abril 2011
    Maio 2011
    Junho 2011
    Julho 2011
    Agosto 2011
    Setembro 2011
    Outubro 2011
    Novembro 2011
    Outubro 2012










    Powered by Blogger




    referer referrer referers referrers http_referer